terça-feira, 30 de outubro de 2007

reflexo

http://apenasmaisum.wordpress.com/2007/10/29/amigos/

32 comentários:

Fulacunda disse...

tenho que te ensinar a fazer links benguela ... mesmo que seja para depois os desperdiçares em post's assim piegas

benguela disse...

pois, não era assim que o queria ter feio, o meu 1º link, mas depois de pelo menos meia-hora às voltas com esta trampa... foi um caguei e vai mesmo assim!

... e o caguei, mais o piegas e a trampa, e um raio que um dia deu cabo (fodeu) a torre da quinta do Contador-Mor... estava tudo ali à mão de semear... nos Olivais , claro.

Fulacunda disse...

aquilo nem precisava ser semeado. era daninho. crescia por si mesmo. nem regado. era daninho. bebia da chuva. lá na quinta do contador-mor, nos olivais, claro.

joão belo disse...

Fula, saber que foste tu que atiraste esta Olivesaria para a frente, alegra-me. nunca fomos amigos - apenas colegas de turma na piscina - mas ao falares assim,falas também do que eu sinto. Houve alguém que no princípio deixou um comentário a dizer "Os olivais no second life", e a que o Bafatá respondeu, "The second life to Olivais". Lembro-me porque achei especialmente certeiro a resposta dele. Vejo este espaço como uma continuação de uma relação nossa com um espaço que muitos de nós já tinham abandonado. E há, entre o lembras-te de uma natural revisitação, um jogo que não é somente nostálgico. E cada um pode estar presente de muitas formas. Uns mais literários, outros mais reflexivos, outros mais pictagóricos, outros mais postas de pescada nos comments, mas todos eles ligados por algo que não sabem bem o que é. E também acho que um amigo é como um espelho, como disse o Bill.

Beira disse...

é bom ver galhos a crescerem por aí que esta árvore pode continuar noutro lado que não aquele em que seria mais fácil procurar

Fulacunda disse...

João Belo, concordo bem, com isso. é por isso que se tornou imprescindivel aqui vir todos os dias beber uma bejeca com a maralha toda.

Beira, as coisas que alguém escreve são mais faceis (previsiveis?) de procurar junto dele, assim como as coisas que alguem desenha se encontrarão mais perto de quem as desenha. esses são os galhos. ou haverá alguma coisa que estou a ver mal?

Beira disse...

sim, são esses os galhos que prolongam este blog em várias direcções.

seria mais fácil ficar tudo concentrado, mas é mais interessante sair por aí à procura e acabar por descobrir outras coisas que aqui não teriam espaço.

o que escreveste não destoaria aqui.

Xai Xai disse...

eu cá não consigo "dizer" as coisas bem escritas como vossemecês.

apenas confesso que prosas destas me comovem.

uma comoção em forma de gota.

entendem, não entendem?

benguela disse...

Beira, (posta) desenha aí a Olivesaria... isto que está a acontecer... e os literários escrevam argumento...

bute parir uma BD... vá!

Lobito disse...

Melhor escrito não poderia estar. Maior realidade não poderia ser imposta nisto que...não é mais do que crescer...cada vez mais sozinho

benguela disse...

Lobito, caga nisso! bute aí fazer "alguma"...

benguela disse...

... tocar às campainhas e atirar gatos lá para dentro...

Anónimo disse...

crescer sózinho Lobito?
Que merda é essa tanto pessoal aqui, a continuar a crescer contigo....

benguela disse...

anónimo, e tu quem és?

Anónimo disse...

Luis Fontes.

Xai Xai disse...

olha o luis!!!! então pá, essa água continua jorrar à maneira???

Anónimo disse...

Ando a dar ao litro...

benguela disse...

Luis Fontes, qual é a tua Rua?

Lourenço Marques? disse...

O Fula é do cacete... e o texto está do camandro!

Anónimo disse...

Av. Berlim.

Xai Xai disse...

Av. Berlim?

isso é zona fronteiriça...

tás na guarita hoje?

Anónimo disse...

Andava a ver as vistas...

benguela disse...

chafariz... portanto.

Anónimo disse...

Não foi acidental mesmo.

benguela disse...

Chafariz, não foi a ti que serraram a coluna da direcção dum Opel?

Anónimo disse...

Não.

Timor disse...

Tambem gosto dos teus galhos e não sei porque lembrei-me das tuas irmãs.

E, como tu, também acho que a passagem do tempo não é relevante.

Inhambane disse...

Olá

Achei o texto muito bonito e muito verdadeiro, também tem a vêr com o caracter/atitude das pessoas... Conheço e conheci durante toda a minha vida muitas pessoas mas...amigos amigos poucos ficaram mais porque não soube dar-me e também por ter uma família numerosa que se encontra quase todos os fins de semana, local onde podemos estar sozinhos acompanhados, onde podemos desabafar, contar e ouvir os problemas.
Enfim... a vida é bela

Gostei sinceramente do texto e a forma da escrita está bonita e acessivel

disse...

Agradeço as palavras simpáticas sobre o texto. Deve ser bom poder poder marcar encontro assim com os amigos d'antanho, a matar saudades num blog como quem volta às conversa de rua, e a enganar as distâncias que se interpuseram.


... se eu fosse dos olivais (cof cof) e tivesse amigos daqui não haveria de faltar todos os dias ao café da manhã.

Beijos e abraços

Anónimo disse...

Lobito, ainda sózinho? Então a miúda de que és fã anda na batalha para encontrar a felicidade...L.F. Av. Berlim. Abraço

Vila Pery disse...

O texto está lindo, comovente! Depois desta escrita, nem sabemos mais o que dizer...

Concordo contigo Beira, "são estes galhos que prolongam este blog"

Tudo isto, me faz umas saudades imensas dos OLIVAIS.

Anónimo disse...

Belíssimo tratadex sobre a amizade. Faz-me lembrar o poema do nosso Maior "À força de tanto amar transforma-se o amador na coisa amada" (Camões).
A amizade também perdura em nós para além dos momentos vividos no passado com os amigos.
Esses "galhos" são não somente as recordações mas os sentimentos ou as sensações de eterna satisfação por termos crescido nos Olivais.
Um abraço,
Bafatacity