segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Sam

Criador de várias figuras, SAM fez de "O Guarda Ricardo" o analista indispensável do quotidiano da vida nacional. Primeiro no "Jornal Novo" e depois no "Diário de Notícias". "Heloísa" outra das suas figuras mais representativas, foi publicada em 1978/79, no vespertino «A Capital». Com uma crónica semanal na Rádio, a partir de Outubro de 1978, o humorista ensaia uma nova forma de expressão. SAM colaborou em mais de 25 publicações periódicas e deixou quase uma vintena de livros publicados.
in http://sergeicartoons.blogs.sapo.pt/arquivo/586370.html

Este, era dos Olivais.

Com atelier na Rua Cidade da Lobita, produzia aí, não só os famosos cartoons, como também objectos (cadeiras gigantes, colecção de funis, etc.) tão criativos e humorados que se diriam bafejados (adj., que recebeu bafo) pela omnipresente Confraria dos Oregãos.

O cartoon abaixo, foi o único que encontrei por aqui no Reino da Servidorlândia, que está aliás bastante escasso quanto a informação sobre o Sam. Será que alguém o conheceu, alguém visitou o atelier, conhece histórias, recordo-me de um programa na RTP "Vamos jogar no Totobola", sobre ele.

Já agora esta "pérola", (sem boneco), publicada antes das primeiras eleições pós 25 Abril.
«Chefe, quero votar! Chefe, preciso de votar! Chefe, estou à-rasquinha para votar! Olhe, Chefe, se calhar ainda voto mesmo aqui!»

7 comentários:

benguela disse...

O gaijo tinha de aluguer à CML um atlier nos Olivais, que por lá continuou fechado até há bem pouco tempo com muita da tralha dele porque a filha pagava a renda (400$00) e não queria abdicar daquilo. Agora está lá o Pedro Croft, que já pára no Tó e tudo...

João Belo disse...

Grande Xai-Xai! Conheci-o quando o entrevistámos para um jornal de bairro e a partir daí começámos a falar. Tenho uma história muito bonita com a sua homenagem ao caracol e outros poemas. Um abraço. Só tu!

benguela disse...

Também bebi uns copos com ele e mais o coronel, uma tarde já de alguns copos ele quis mostrar-nos certas obras em que estava a trabalhar para uma exposição,lá fomos e então no meio das cadeiras e dos funis, as suas duas últimas produções... o esperma do artista e a caca do artista, cuidadosamente enquadradas e guardadas dentro duns recipientes de vidro, lindo! foi cá uma risota com ele e o coronel a devanearem sobre aquilo!

bafata disse...

Este era muiiiiiiiiito à frente ! Muito com uma data de ´ís´ ....

a rapariga que vinha da província disse...

um justo e merecido registo, xai-xai. lá longe, pela província, também havia uns fãs dedicados!
é notável como a imagem era tão pouco relevante, nos seus cartoons. o desenho era uma síntese perfeita do texto. mas, este tinha vida e substância próprias, autónomas, o que, aliás, a "pérola" atesta: ri-me a bom rir!

Beira disse...

Lembro-me bem da visita que fiz ao atelier dele.

E de uma cadeira de assento inclinado que ele queria colocar no Campo Grande onde anteriormente tinha estado um busto do Salazar (António Oliveira, e não Nuno ou Jorge).
Chamava-se a peça qualquer coisa como "Monumento ao Governante Efémero".

Ainda há 3 dias, noutros círculos se falou do Sam.
Que marcou uma série de gente por esse país fora.

Com aquela cara só poderia mesmo ser humorista!

Timor disse...

Acho que o meu pai tem um livro com desenhos do Sam deste período dos finais dos anos setenta. Quase todos fantásticos. Quando aí for, peço o livro ao meu pai e posto mais uns (mas isto deve ser só lá para Dezembro - trabalhos de emigrante).