sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

O primeiro beijo

Sempre que estou num hotel de uma cidade estranha adormeço de forma inabitual. Ligo a televisão, ponho o temporizador num tempo que considero aceitável para conseguir adormecer primeiro que o televisor, viro-me para o lado e começo a deixar-me envolver por uma névoa que me leva, à sorrelfa, para um território de nenhures. Nos últimos dias essa terra inacabada vem-me em forma de posts da Olivesaria. Não me perguntem porquê. Ontem - não sei se foi por causa das confissões do Xai por uma sua preferência ou se foi por de repente terem vindo a lume aqueles casos de love storys que enterneceram a novela do bairro - mal virei costas a um tv shopping (são os programas mais emocionantes para adormecer) comecei a viajar pela minha adolescência tardia. Pelo meu período catió.

16 comentários:

Maracangalha disse...

Excelente, JB, excelente!

Xai Xai disse...

és a 2ª pessoa mais bonita deste blogue!

Maracangalha disse...

Obrigado Xai.

benguela disse...

Belo! opípara prosa! Magnífico primeiro beijo!

(o meu soube ao mesmo, só que de dia no Vale do Silêncio... depois do almoço)

benguela disse...

Ah, e obrigado Xai.

João Belo sem login disse...

Obrigado Maracangalha, Xai e Bengas!

:)

Fulacunda disse...

é por estas assim que eu não quero ser autor neste blog! camandro pá, roubaste-me o post que eu vivi aos 14 ... na rua vila de catió.

bafatá disse...

Já nem sei o que diga ....

Muiiiiito bom texto !

Um pequeno aparte ... o meu primeiro beijo, numa Oliveira chamada Olga, em plena revolução e Reunião de Alunos na Damião de Góis, Fernando Pessoa à altura ( a escola, não o homem !! )... soube-me que nem ginjas.... tremi por todo o lado... e só comecei a ceder quando me doeu a lingua !!

Inhambane disse...

Bolas...
ri-me, senti...
lembrei-me
Não tenho palavras...
A timides ...
O primeiro beijo...vazio, sem sentido...
o primeiro linguado (não sei se posso dizer)... desagradavel, àspero...
Apanhei uma grande desilusão. Ficava bem sem eles(os primeiros). Obrigada...

mamadu sissé disse...

"Éramos soberbamente felizes".
Certeiro e literariamente brilhante.
Nós e os outros.
Tantas festas, tantos apertões subtis.
O primeiro beijo ... na Bafatá, que delícia.
Obrigado Johny B. Good, por me fazeres recordar as festas, e o "jeito" para os slows, onde era sempre demasiadamanete atrevido ...

largo das mamas disse...

Gostei da prosa.
Noutro cenário olivalesco, mas as idênticas situações.

Lourenço Marques? disse...

Adorei.

Beira disse...

o primeiro de um milhão de beijos...

Prudêncio disse...

Fantástico, JB, lembrei-me da nossa inépcia com sexo oposto, do estranho que tudo era, o tocar, o cheiro, o que dizer!!!

Maracangalha disse...

Prudêncio, quanto à inépcia, fala por ti...

mamadu sissé disse...

Inépcia ... é uma gaja muito gira, com beijos estonteantes...