sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Alguns anos depois os velhos deuses recuaram, refugiando-se em recônditos outros bairros, desiludidos de tanta aceitação daquela nova crença, a Adultez, que tão lesta se espalhava. Aqui e ali alguns templos iam subsistindo, cada vez mais vagos de fiéis. E mesmo estes, um a um, se iam, até envergonhadamente, rendendo ao novo Senhor.

Aqui fica a homenagem ao último dos sacerdotes pagãos, guardião de velhas crenças, até oráculo de quem ainda acorria aos velhos chamamentos dos pomares divinos:


5 comentários:

Timor disse...

Bolama, fala-nos do homenageado, não acho que conheça

Moçâmedes disse...

Pintarola!
Este individuo é o famoso ex-proprietário do Cheira-Mal. Que aliás, passou a chamar-se Pinto, por seu mérito.
Este era o momento mais religioso de toda a semana, os preparativos para entregar o totobola e o totoloto.

Pedro Venâncio disse...

Grandes feijoadas matinais ...

Timor disse...

Aaaaaaaaaaaaaah! Não o tinha reconhecido sentado à mesa. Lembro-me dele sempre simpático por trás do balcão. E é verdade, quase que conseguiu mudar o nome ao café.

Inhambane disse...

Era um gajo porreiro....ainda hoje em dia vejo a Evelise ( não sei se se escreve assim) todas as manhãs...cumprimentamo-nos( eu no carro e ela a pé).
´