quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Momento Cultural 5: Ícone Rupestre


Memória de Ícone Rupestre (Leonid Brejnev), a posteriori profusamente adornado segundo a metodologia Work in Progress. Obra marcada pela influência de Andy Warhol, arvorando-se em palimpsesto pós-moderno. Notável trabalho colectivo, atribuível com toda a certeza à Escola de Bolama, realizado no início da década de 1980. Então colocada na Gruta de Venâncio. Posteriormente destruída devido ao mau funcionamento das canalizações sanitárias do Barão de Bolama.

15 comentários:

Bonanza disse...

Uma desgraça, esse Barão de Bolama

manafá disse...

cumprimentos pelo nível cultural do blog

bolama disse...

OBrigado pelo elogio, em nome de todos nós

carapinha disse...

eu também gostava muito de desporto

saudade, serafim disse...

que cabelo, sim senhor

anónimo disse...

um blog de comunas, afinal?

manafá disse...

Afinal a Vespa Verde, aparece ou não?

pedro venâncio, proprietário disse...

Um abandalho de comentários, não há respeito

bolama disse...

Beira, Benguela, administradores, tratem lá disto, spam comments não, sff

Xai Xai disse...

óh joão belo, lembras-te? lá no fim da rua também havia uns fósseis? o mar em tempos muito idos chegou ali.
este fóssil também por lá passou mas foi por pouco tempo.
com a bandalheira que para aí vai até dele temos saudades. não é óh serafim?
tchauzesco, até brejnev...

Xai Xai disse...

PALIMPSESTO
para aqueles que como eu, não conheciam a palavra, aqui vai:

do Lat. palimpsestu < Gr. palímpsestos < pálin, de novo + psáo, raspar

s. m.,
pergaminho manuscrito medieval em que, por raspagem, se fez desaparecer a primeira escrita para nele escrever de novo, mas do qual, por vezes, se tem conseguido fazer reaparecer, por processos químicos, os caracteres do texto primitivo.

...é portanto tudo isto, mas em pós moderno...
fiquei esclarecido...

manafá disse...

isto na cultura é assim, nada como o enleio do requebro ou o vice-versa

Bonanza disse...

mas o melhor ainda é o "arvorando-se"

Timor disse...

Olha o dos heterónimos! Ainda te faltam um ou dois

joão belo disse...

essa dos fósseis fez-me lembrar que o nosso prédio veio a ser feito num sitio onde o pessoal do 89 e do 88 brincava, fazendo escavações, eles falavam-nos até de que tinha havido ali uma pequena gruta. lembro-me de passarmos tardes a apanhar fósseis. o irmão do cineasta, e os espanhóis que tinham aqueles primos de que já falaste aqui forma os mais entusiastas na ciência. queríamos descobrir o princípio da vida naquela escarpa que separava os nossos continentes da ciganada...às vezes choviam pedras...era a hora de recolher...eheheheh...mas olha que para quem se esqueceu de muito tu lembras-te de tudo, Xai Xai.